segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Cipave debate estratégias para a cultura da paz nas escolas da 3ª região escolar

         A 3ª Coordenadoria Regional da Educação em conjunto com Ministério Público Estadual realizou, na última sexta-feira (15), seu 3º Encontro sobre Comissões Internas de Prevenção de Acidentes e Violência Escolar (Cipave). O evento realizado no auditório do prédio 7 da UNIVATES, em Lajeado, contou com público estimado em torno de duzentas (200) pessoas, entre educadores, alunos e representantes do Poder Judiciário.
             Com o tema: A Cultura da Paz pede passagem, o encontro pautava como objetivo principal a socialização das ações que estão sendo realizadas pelo programa nas escolas estaduais pertencentes a 3ª CRE, bem como incentivar a cultura da paz nas relações entre professores-alunos e alunos-professores.
           A solenidade de abertura contou com a presença das autoridades locais como: Prefeito de Lajeado, Marcelo Caumo; Dr Sérgio Dienfenbach- Promotor de Justiça de Lajeado; Profº Dr Carlos Cyrne- Vice-reitor do Centro Universitário UNIVATES; Edson Brum -Deputado Estadual- representando os Vales do Taquari e Rio Pardo; Luciane Manfro – gerente do Projeto Cipave e a Srª Maria Helena Sartori, primeira-dama do Estado e Deputada Estadual, autora da Lei Estadual que instituiu a Cipave, em 2012.
           A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes e Violência Escolar, implantada em 2015, conta, atualmente com 2500 educandários participantes no Estado e, a 3 ª CRE é  pioneira, com 100% de adesão das escolas estaduais.
          A programação contou ainda com os palestrantes: Dr João Batista Costa Saraiva, Juiz de Direito e consultor UNICEF na América Latina, Caribe e África, que abordou o tema: “A criança e o adolescente como sujeito de Direito”; Dr Leoberto Brancher, Juiz de Direito, atuando em Caxias do Sul, que palestrou sobre Justiça Restaurativa.
           Conforme a Coordenadora Profª Greicy Weschenfelder o Programa Cipave tem contribuído para a diminuição do bullying e dos casos de danos ao patrimônio público. “ Com este evento percebemos a consolidação do programa em nossa região, iremos perseguir a humanização e a cultura da paz em nossas escolas” conclui.

             Durante o dia, banners e projetos ficaram expostos no saguão do auditório, mostrando as boas práticas realizadas pelas escolas. Outro momento pertinente do evento foram os relatos dos alunos e professores que trabalharam a proposta dos Círculos da Paz, que muito tem contribuído para melhorar o convívio no ambiente escolar.









Nenhum comentário:

Postar um comentário